Post-mortems: aprendendo através de falhas


Todo sistema está sujeito à falhas, desde pequenos aumentos de latência até downtimes catastróficos, exposição de dados e prejuízos à imagem e a empresa como um todo. O que qualquer uma dessas falhas, independente da gravidade, têm em comum? Todas têm muito a ensinar e podem te ajudar a construir um sistema mais robusto e confiável, que é o sonho de todo engenheiro de software! Para isso existem processos como os de post-mortem, amplamente usados no Nubank e outras grandes empresas, que permitem verdadeiramente dissecar um incidente tentando extrair o máximo de informações, ajudando a guiar melhorias e backlogs.

Speaker

riad-vargas

Riad Vargas

 
Software Engineer no Nubank. Possui mais de 2 anos de experiência trabalhando em fintechs, tendo trabalhado com linguagens funcionais, microserviços e bancos de dados transacionais.